A mensagem de Fátima

17/05/2017 - 14:30

Corria o ano de 1917: a Europa estava em guerra. No dia 13 de maio, três crianças saem com seus rebanhos de- pois da missa. Dirigem-se aos pastos da Cova da Iria. Lúcia, a mais velha, conta- va com 10 anos. Seus primos, Jacinta e Francisco, tinham 7 e 8 anos, respectivamente. Começaram a brincar de pedreiros: levantar uma cerca protetora, ao redor de uma pequena mata. Meio dia. De repente, sobre uma azinheira, no centro de uma grande auréola de luz que os envolveu, viram uma formosa senhora, mais resplandecente que o sol.

- De onde sois, Senhora?

- Sou do Céu.

Assim começou a primeira conversa entre Nossa Senhora e Lúcia. Entre maio e outubro, houve seis aparições de Nossa Senhora. Pediu-lhes que rezassem o Terço todos os dias, e que fizessem penitência. Eles procuraram modos de fazê-la: começaram a deixar seu lanche para o rebanho comer, a amarrar uma corda fortemente na cintura etc.

Na terceira aparição, Nossa Senhora pediu a consagração da Rússia a seu Imaculado Coração – os pastorzinhos ignoravam  o  significado da  palavra Rússia – e a Comunhão reparadora dos primeiros sábados. “Se não se fizer isso, a Rússia propagará os seus erros pelo mundo (...), algumas nações serão aniquiladas. No entanto, Portugal conservará sempre a fé”.

Nessa aparição, também recomende cada dezena, digam: “Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai todas as almas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.”

Na última aparição, a 13 de outubro, Nossa Senhora disse-lhes:

“Eu sou a Virgem do Rosário. Desejo que neste lugar se levante uma capela em minha honra”. Como havia anunciado, neste dia teve lugar o milagre do sol, presenciado por cerca de 70 mil pessoas, que se haviam dirigido à Cova da Iria, e foi publicado com detalhe na imprensa. “Chovia torrencialmente. De repente, a chuva cessou e as nuvens, escuras desde cedo, se dissiparam. O sol apareceu no zênite como um disco de prata que se podia olhar sem se ofuscar. De improviso, começou a tremer, a sacudir-se com movimentos bruscos, projetando, em todas direções, feixes de luz cuja cor mudava muitas vezes”.

A mensagem de Fátima contém um importante aspecto de exigência cristã: é necessário desagravar a Deus por todos os pecados cometidos, fazer penitência, rezar o Rosário, difundir a devoção ao Imaculado Coração de Maria, e rezar muito pelo Papa. Jacinta e Francisco, tal como Nossa Senhora anunciou, morreram pouco depois das aparições. Lúcia aprendeu a ler e a escrever e, em 1926, ingressou na Congregação das Doroteias na cidade do Porto. Mais tarde, entraria no Carmelo de Coimbra.

Como Nossa Senhora havia previsto, começou a 2º Guerra Mundial, muito mais violenta que a primeira. Portugal, por graça dela, ficou à margem do conflito.

No dia 13 de maio de 1981, o Papa São João Paulo II sofreu um grave aten- tado na Praça de São Pedro. Um assasatirou no Papa a uma pequena distância. E, por pouco, uma das balas não atingiu a artéria aorta, que produziria uma hemorragia instantânea e lhe impediria de chegar com vida ao hospital. Um ano depois, nesta mesma data, foi a Portugal para agradecer a proteção de Nossa Senhora de Fátima e renovar a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria. O Papa ofereceu ao santuário a bala que lhe haviam extraído durante a cirurgia sofrida após o atentado, que foi colocada na coroa da imagem.

Alguns anos depois, no dia 13 de maio de 2000, São João Paulo II beatificou em Fátima Jacinta e Francisco e, no final da cerimônia, se tornou público o terceiro segredo revelado por Nossa Senhora aos videntes, durante a apari- ção de 13 de julho de 1917. “Um bispo vestido de branco subindo em direção à Cruz...” O então Cardeal Ratzinger explicou “que uma ‘mão materna’ tenha desviado a bala mortal mostra uma vez mais que não existe um destino imutável, que a fé e a oração são poderosas, que podem influir na história e que, no final, a oração é mais forte que as balas, a fé mais potente que as divisões [de um exército]”.

Irmã Lúcia faleceu em 13 de fevereiro de 2005 no Carmelo de Coimbra. Seu corpo repousa na Basílica do Santuário junto com os de Francisco e Jacinta, que foram canonizados pelo Papa Francisco no passado dia 13 de maio de

2017, centenário da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima.

Não esqueçamos que continua atual a mensagem de Fátima: fazer penitência, rezar o Terço, difundir a devoção ao Imaculado Coração de Maria e rezar muito pelo Papa.

Dom Carlos Lema Garcia
Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade
Artigo publicado no Jornal O SÃO PAULO Edição 3151