Viva a Mãe de Deus e nossa!

26/04/2017 - 18:00

Nós, católicos brasileiros, estamos celebrando o Ano Jubilar Mariano por ocasião do terceiro centenário do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no rio Paraíba do Sul. O encontro da imagem pelos três pescadores foi um tempo de graças e muitas bênçãos, confirmado pela pesca abundante que realizaram imediatamente após a presença da pequena imagem em suas redes.

Durante estes 300 anos, o encontro com a Mãe Aparecida, na pequena imagem, tem repetido aquele primeiro milagre: graças e bênçãos para todos aqueles que pedem a intercessão da Mãe de Deus e nossa, que jogam as redes em suas águas.

Neste ano jubilar, o Papa Francisco concedeu uma graça especial aos devotos e romeiros de Nossa Senhora Aparecida: a indulgência. Pela indulgência, a Igreja ensina que o “cristão que procura purificar-se do seu pecado e santificar-se com a ajuda da graça de Deus, não se encontra só. A vida de cada um dos filhos de Deus está ligada de modo admirável, em Cristo e por Cristo, à vida de todos os outros irmãos cristãos, na unidade sobrenatural do corpo Místico de Cristo, como que numa pessoa mística” (Catecismo da Igreja Católica, 1474).

Para alcançar a indulgência plenária para si ou para um fiel falecido, além da peregrinação, é “necessário atender às condições habituais: arrependimento sincero dos pecados, confissão sacramental, comunhão eucarística, recitação do Creio, oração nas intenções do Papa e da Igreja e a prática das obras de caridade e misericórdia. O

Papa Francisco também recomenda a especial oração a Nossa Senhora Aparecida em defesa das famílias” (Cardeal Odilo Pedro Scherer, Carta Pastoral, página 15).

Seria tão bonito se todos os devotos da Mãe de Deus e nossa pudessem ir até a Casa da Mãe para agradecer as graças recebidas e pedir a bênção para as famílias, para suas atividades, projetos, sonhos e alcançar indulgências. Nem todos, pelos motivos mais diversos, conseguirão ir à Aparecida, mas todos poderão receber graças especiais (indulgências) nas igrejas dedicadas a Nossa Senhora Aparecida por todos os rincões do imenso e amado Brasil. Aqui em nossa Arquidiocese, por exemplo, poderemos receber indulgências nas muitas igrejas paroquiais dedicadas à Padroeira do Brasil.

Realizemos um gesto terno de amor: vamos levar ao encontro de Nossa Senhora Aparecida nossos familiares idosos, enfermos e com dificuldade de locomoção; sejamos solidários: levemos ao encontro da Mãe nossos vizinhos que não conseguem caminhar sozinhos ou não têm mais ninguém para olhar por eles, o olhar da Mãe volta-se para nós e eles; testemunhemos a fé: convidemos para peregrinar a uma igreja dedicada a Nossa Senhora Aparecida nossa família, nossos filhos, netos e seus amigos.

Sejamos ousados no convite e na peregrinação; são 300 anos de bênçãos e este rio de bênçãos, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, precisa ser partilhado. Nele, com fé, todos podem jogar as redes e terão pesca abundante.