A Palavra de Deus e o Testemunho Cristão

20/09/2017 - 12:00

Setembro é o mês da Bíblia, por isso mesmo é muito conveniente refletir sobre a Palavra de Deus e o nosso testemunho de fé. Vivemos numa sociedade extremamente complexa, e essa nova realidade cultural exige de nós, cristãos, renovada criatividade para comunicar eficazmente a Palavra de Deus.

O que nossa criatividade não pode esquecer é a relação intrínseca entre “comunicação da Palavra de Deus e testemunho de vida”. Disso depende a própria credibilidade do anúncio. Por um lado, é necessário que a Palavra comunique aquilo que o próprio Senhor nos disse, ou seja, que como evangelizadores sejamos fiéis ao conteúdo da Palavra divina, e nada mais. Por outro lado, é indispensável dar, com o testemunho, credibilidade à Palavra, para que não apareça apenas com bela filosofia ou utopia, mas antes “como uma realidade que se pode viver e que faz viver”.

Particularmente, as novas gerações - as crianças, os adolescentes e os jovens - têm necessidade de serem introduzidas na Palavra de Deus através do encontro e do testemunho autêntico das pessoas adultas, da influência positiva dos familiares e amigos, mas sobretudo, do testemunho de fé de uma comunidade eclesial. Desse modo, aqueles que encontram testemunhas credíveis do evangelho são levados a constatar a eficácia da Palavra de Deus naqueles que a acolhem. Daí a importância do testemunho de fé, tanto pessoal como comunitário.

O testemunho pessoal e comunitário dos valores do evangelho, contudo, não descarta o anúncio explícito da Palavra de Deus. Eis o que diz o Beato Papa Paulo VI, na Exortação Apostólica “Evangelii Nuntiandi”: “Por conseguinte a Boa Nova proclamada pelo testemunho de vida deverá, mais cedo ou mais tarde, ser anunciada pela palavra de vida. Não haverá verdadeira evangelização, se o nome, a doutrina, a vida, as promessas, o Reino, o Mistério de Jesus de Nazaré, Filho de Deus, não forem proclamados”.

Em muitas ocasiões, os cristãos foram, e ainda são, perseguidos por causa do anúncio e do testemunho do evangelho. Tudo isto não nos deve meter medo. “Um servo não é maior que o seu Senhor. Se a mim me perseguiram também vos perseguirão a vós” (Jo 15, 20). Mas contamos com a certeza que o Senhor está sempre junto de nós, fortalecendo-nos na missão de anunciar e testemunhar a Palavra.

Que o mês da Bíblia desperte-nos para a urgência do testemunho pessoal e comunitário da Palavra do Senhor, pois somente, assim, seremos, de fato, uma Igreja que evangeliza por “atração”.

Dom José Roberto Fortes Palau
Vigário Episcopal
Região Ipiranga