Trabalhadores debatem a reforma da previdência

Os leigos refletiram sobre as implicações da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, da reforma da Previdência
Publicado em: 28/03/2017 - 19:00
Créditos: Texto e Fotos: Juçara Terezinha Zottis

Na noite do sábado, 25, aconteceu na Paróquia Santos Apóstolos, no Jardim Maracanã, um debate sobre as implicações da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, da reforma da Previdência. O evento foi organizado pela Pastoral Operária e contou com a presença de lideranças pastorais.

Segundo a assessora do encontro, Roseli Queiros de Almeida, do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado São Paulo (Sindsprev), a PEC 287/2016 altera as regras da aposentadoria.

Para ela, é um erro aplicar no Brasil a idade mínima de 65 anos, trazendo como modelo países como Japão, Itália, Canadá, Suíça, Hong Kong e França, “porque a desigualdade no Brasil é ainda muito acentuada e heterogênea. Entre as 19 cidades com esperança de vida de aproximadamente 65 anos, cinco se localizam na Paraíba, três em Alagoas, sete em Pernambuco e quatro no Maranhão, todas no Nordeste do país. Na outra ponta da tabela, com expectativa de vida ao redor de 78 anos, estão 20 municípios de Santa Catarina”, detalhou.

Trabalhadores debatem a reforma da previdência