Caminho Neocatecumenal anuncia Kerigma em São Paulo

Data e horário: 
terça-feira, 09 Abril 2013 - 16:16
Créditos: 
Redação com jornal O SÃO PAULO

Em oito praças da cidade, as comunidades do Caminho Neocatecumenal – itinerário de iniciação cristã – presentes em sete paróquias da Arquidiocese de São Paulo realizaram no domingo, dia 7, o primeiro de cinco encontros do Anúncio do Kerigma, proclamando, em sintonia com o Ano da Fé, a ressureição de Jesus Cristo.

Um dos locais foi a praça da Sé, onde integrantes de comunidades do Caminho das paróquias Santa Margarida Maria (Região Sé) e Santa Bernardete (Região Belém) reuniram-se às nove e meia da manhã e iniciaram a atividade com cantos de louvor e uma dança circular.

“A nossa intenção é manifestar a fé. Com cantos e danças, vamos chamar a atenção das pessoas para que depois possam abrir os ouvidos e escutar o anúncio da ressurreição”, explicou, ao O SÃO PAULO, Nelson Sanchez Moreno Júnior, responsável arquidiocesano pela equipe de evangelização do Caminho.

Para Nilton Ângelo da Silva, coordenador do Caminho na Paróquia Santa Bernardete, o anúncio da ressurreição de Jesus é indispensável. “Já não podemos supor que as pessoas estejam evangelizadas. É necessário encontrá-las nas ruas e nas praças. Um pouco da missão das comunidades do Caminho Neocatecumenal é levar esta boa notícia, que Cristo Ressuscitou, a todas as pessoas”, avaliou.

O Anúncio do Kerigma também foi feito com a oração das laudes, cantos de louvor e testemunhos de fé. O cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, acompanhou parte das atividades e, após ouvir um dos testemunhos, destacou que Cristo é capaz de trazer vida nova às pessoas e que a ressurreição de Jesus não foi um fato teórico.

“Só provas teóricas não convencem, é preciso encontrar a pessoa de Jesus e daí não precisa de prova nenhuma, ele é a prova. É preciso ter um encontro com ele na oração, na fé e com a comunidade de fé. Essa é a grande chance de encontrar Jesus Cristo vivo, ressuscitado, presente no meio de nós”, comentou o Cardeal, estimulando que as comunidades cristãs sejam sinal para o mundo de que Jesus está vivo. “Este testemunho público por Jesus Cristo vivo, ressuscitado no meio de nós, é muito valioso”.

Após a reflexão do Arcebispo, foi realizada uma Catequese sobre o Kerigma. Espontaneamente, as pessoas falaram sobre o que é Deus e por que acreditam nele, tema do primeiro encontro. Antônio Francelino, que passeava pela praça, sentiu-se atraído pela atividade e opinou: “Deus é tudo pra mim, ele pode tudo, é o Pai da minha vida, o Senhor da minha estrada”, comentou, elogiando a atividade. “Achei ótimo, foi 100%”.

O primeiro encontro do anúncio do Kerigma foi concluído com orações e reflexões conduzidas por Nelson e pelo padre José Francisco Vitta, reitor do Seminário Missionário Arquidiocesano Internacional Redemptoris Mater São Paulo Apóstolo, e houve ainda cantos de louvor à Virgem Maria. Pedro Scrivano, 24 anos, que participa de uma das comunidades do caminho, ajudou na animação musical.

“Neste ato, mostramos para a sociedade que apesar do sofrimento, é possível ser feliz por meio do anúncio do Kerigma”, comentou, falando ainda sobre a carência de fé de alguns jovens. “Eu tenho amigos fora da Igreja e o que mais vejo é que existe um vazio imenso, cada vez mais um individualismo. Muitos buscam ser felizes e acabam  indo para as drogas, para a bebida, para a festa, na tentativa de ter o contato com as pessoas, mas esse contato verdadeiro só vem através da Igreja, da fé no convívio com os outros”.