Mostra inédita do Museu de Arte Sacra celebra os 10 anos de Dom Odilo como arcebispo de São Paulo

A exposição é composta de 45 obras – entre esculturas, pinturas, objetos religiosos e outras peças – que revelam a trajetória dos mestres cristãos
Publicado em: 08/05/2017 - 17:45
Créditos: Redação com Museu de Arte Sacra

Na tarde do sábado,6, Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, esteve presente no Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, para a abertura da mostra ‘Doutores e Doutoras da Igreja: A Beleza do Testemunho, da Vida e da Palavra’, que celebrou os seus 10 anos de arcebispo de São Paulo.Sob a curadoria de Marcos Horácio Gomes Dias e Vanessa Beatriz Bortulucce, a exposição é composta de 45 obras – entre esculturas, pinturas, objetos religiosos e outras peças – que revelam a trajetória dos mestres cristãos, homens e mulheres que definiram questões importantes para a cristandade.

O Cardeal Scherer proferiu algumas palavras na abertura da exposição, agradecendo a homenagem prestada pelo Museu.

Sobre o tema da mostra, o arcebispo metropolitano falou sobre como a Igreja Católica e também a Igreja Ortodoxa, concedem o título de doutores a alguns santos, para aqueles que deram uma contribuição especial para a reflexão teológica e para o ensino da fé.

“Olhemos por analogia os doutores hoje nas nossas universidades, que escrevem uma tese, tem um ensino importante. E assim na Igreja doutores são aqueles que são importantes no ensino da fé e deram uma contribuição importante na explicação do instrumento do mistério cristão em linguagem naturalmente inculturada no tempo e na história”, expressou.

Ao longo de sua fala, Dom Odilo citou alguns dos principais Doutores da Igreja, como os quatro evangelistas os quatro evangelistas, Mateus, Marcos, Lucas e João. “São Paulo recebe o nome de doutor dos povos porque ele foi pregador do evangelho aos povos da antiguidade, depois ao longo da história temos os quatro grandes ou mais, mas tem Santo Ambrósio, Santo Agostinho, São João Crisóstomo e mais, vários outros”, comentou.

Sobre a mostra

A divulgação da tradição cristã foi realizada pelos doutores da Igreja, que contribuíram para a compreensão da fé e para o entendimento da própria instituição religiosa. Sofreram perseguição e, juntamente com os papas, elaboraram regras e fundamentaram profunda e filosoficamente as diretrizes instituídas, esclarecendo a razão de ser da espiritualidade dos indivíduos.

Suas vidas e ideias foram cultuadas e estudadas pelos membros da Igreja e, posteriormente, seus nomes elevados aos altares para servirem de exemplos de conduta e reflexão. “Os doutores originais da Igreja foram os santos teólogos da Igreja ocidental, como Santo Ambrósio, Santo Agostinho, São Jerônimo, Santo Tomás de Aquino e o Papa São Gregório I. As mulheres doutoras são Santa Catarina de Siena e Santa Teresa d’Ávila, ambas nomeadas apenas em 1970.

A alemã Santa Hildegarda de Bingen e a francesa Santa Teresinha do Menino Jesus chegariam aos altares brasileiros com a romanização da Igreja a partir do século XIX”, explica Marcos Horácio Gomes Dias.

As imagens expostas dos Doutores da Igreja trazem um discurso sobre a história da Igreja Católica Romana e da necessidade da inspiração divina e da espiritualidade para o comportamento humano. Além das figuras masculinas, há de se ressaltar o feito de mulheres que assumiram importante papel e imprimiram seus nomes na História. “É a sensibilidade do ‘feminino’ que nos mostra o ‘Rosto’ amoroso e misericordioso de Deus”, comenta o Padre José Arnaldo Juliano dos Santos.

De acordo com Vanessa Beatriz Bortulucce: “As quatro doutoras que compõem a mostra foram reconhecidas pela Igreja não apenas pelas suas atuações em defesa da fé e do papa, mas também por demonstrarem inigualável dinamismo espiritual, pelas ações infatigáveis voltadas ao fortalecimento do cristianismo, pelas suas atitudes reformadoras, bem como pela maestria e habilidade expressas em seus escritos, poemas e doutrinas, mesmo sem que lhes fosse concedido o direito de estudar”.

Serviço:

Exposição “Doutores e Doutoras da Igreja: A Beleza do Testemunho, da Vida e da Palavra”
Curadoria: Marcos Horácio Gomes Dias e Vanessa Beatriz Bortulucce
Abertura: 6 de maio de 2017, sábado, às 16h
Período: 7 de maio a 2 de julho de 2017
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo - www.museuartesacra.org.br
Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo | Metrô Tiradentes
Tel.: (11) 3326.5393 – agendamento/ educativo para visitas monitoradas
Horário: terça a domingo, das 9h às 17h

Ingresso: R$ 6,00 (estudantes pagam meia entrada); grátis aos sábados. Isentos: idosos acima de 60 anos, crianças até 7 anos, professores da rede pública (com identificação) e até 4 acompanhantes

Número de obras: 45