Sublime Mistério do Natal!

22/12/2017 - 13:30

A Solenidade do Natal de Jesus nos convida a entrar no coração de Deus para compreender a beleza e a grandeza deste Mistério da fé que a Igreja celebra. Os textos da Liturgia são belíssimos e nos ajudam a contemplar e adorar, como fizeram os pastores na noite do Natal: “Vamos a Belém, para ver o que o Senhor nos fez conhecer!” Foram depressa, viram e se deixaram fascinar... (Lc 2,15). 

Na simplicidade e fragilidade do menino deitado na manjedoura, viram a glória de Deus e o adoraram. Ficaram cheios de admiração e alegria e saíram louvando e bendizendo a Deus por tudo o que viram e ouviram (Lc 2,20). O Evangelho de São João nos diz que aquele menino, de fato, é a “palavra eterna de Deus, feita nossa carne, e que veio morar entre nós!” Nele, contemplamos a glória do próprio Deus entre nós (Jo 1,14). Grande é a maravilha que celebramos no Natal!

A Carta aos Hebreus nos diz que Jesus é a palavra definitiva de Deus aos homens, o próprio Filho de Deus, através do qual o Pai eterno nos fala, a irradiação da glória de Deus e a manifestação da própria realidade de Deus entre nós (cf Hb 1-3). São Paulo completa: no nascimento de Jesus, foi Deus que, na sua bondade e misericórdia superabundante, renovou e enriqueceu infinitamente nossa pobreza humana (cf Tt 3, 4-7). Pelo Mistério do Natal, Deus nos concede contemplar, ainda na terra, as realidades do céu.  Tão grande e tão santo é Deus! Tão perto e tão simples Ele se fez, só por amor de nós, para estar conosco. Ninguém tema aproximar-se de Jesus, rosto humano de Deus, rosto divino do homem! 

No Mistério do Natal, o céu e terra trocam seus dons: o céu entrega à terra o que tem de melhor e mais precioso: o próprio Deus. A terra oferece a Deus o que tem de mais precioso: a nossa frágil condição humana! Não é por nada que a Igreja exclama, cheia de admiração e alegria: “oh magnum Mysterium !” – oh grandioso mistério!

As expressões da Liturgia continuam na louvação de Deus, que “admiravelmente criou o homem e, ainda mais admiravelmente, o renovou e redimiu! E, ávidos do desejo de entrar plenamente no mistério celebrado, nós suplicamos: “Fazei que possamos participar da vida divina do vosso Filho, que quis assumir nossa humanidade!” Não é exagero, não é fantasia nem pretensão descabida. Foi para isso mesmo que Ele veio ao mundo: para comunicar a todos a sua vida imortal!

Queridos filhos e filhas da Arquidiocese de São Paulo: desejo que todos experimentem na fé as alegrias do Santo Natal. Levem essa alegria a todos os familiares, aos doentes e idosos, às crianças e jovens, aos pobres e desamparados. Vivam essa alegria em suas casas e a difundam entre todos. “Deus habita esta cidade! Somos suas testemunhas!” Feliz e abençoada comemoração do Natal de Jesus! Deus abençoe a todos.
 

Cardeal Odilo Pedro Sherer
Arcebispo Metropolitano de São Paulo
Especial de Natal